Imobiliária Ribeirão Preto - Fortes Guimarães
 	
 	
 				

Guia: cama box ou tradicional? Conheça os tipos de cama e faça sua escolha

Para escolher o tipo ideal de cama é importante considerar o conforto, a decoração do quarto e quanto de espaço ela vai ocupar.

De uma coisa ninguém discorda: a cama precisa ser confortável para uma boa noite de sono. Mas, além disso, ela é o destaque do quarto, o principal elemento do ambiente. O tipo de cama e os demais elementos para a composição, como cabeceira e iluminação, fazem toda a diferença na decoração. Conheça os tipos de cama e aprenda a escolher a ideal para você.

A arquiteta Patricia Penna ressalta que a qualidade da cama reflete na saúde e bem-estar das pessoas, por isso é preciso cuidado e muita pesquisa para escolher o modelo ideal. Como a cama ocupa o maior espaço no quarto, ela diz que é fundamental que o móvel esteja em harmonia com os demais elementos, assim como materiais e acabamentos aplicados.

“São dois aspectos a serem observados na escolha da cama: o prático e o estético. O prático considera questões como a ergonomia geral, altura, comprimento, largura, além dos materiais e a segurança do design. Costumo dizer que o trabalho vai muito além de simplesmente escolher a densidade do colchão, que também é importante”, detalha a arquiteta.

Em relação à parte estética, diz ela, a cama deve “conversar” com a proposta do ambiente. “Sob esta ótica, a cama deixa de ser um elemento de função técnica e passa a ter importância e funções plásticas, podendo ser a menina dos olhos de um quarto”, destaca Patricia.

Tipos de cama deve refletir gosto pessoal

É essencial que a cama represente intimamente o gosto pessoal de quem a utilizará, afirma a arquiteta. “Já tivemos clientes que queriam manter a cama anterior ou nos indicaram um modelo específico que gostariam de ter no novo dormitório. Nesses casos, os demais itens virão em consonância com o móvel. O cliente precisa sentir-se bem, afinal esse é o lugar de repouso dele”, pondera Patricia.

Após o tipo de cama definido, as dimensões precisam ser avaliadas. Segundo a profissional, quartos menores pedem camas proporcionais às suas dimensões. “É preciso que haja uma circulação de, no mínimo, 60 centímetros entre a cama e qualquer outra peça ou parede”, detalha. De acordo com a profissional, uma dica valiosa para dormitórios compactos é evitar camas com a chamada ‘quina viva’, que podem causar acidentes em circulações mais restritas.

Patricia acredita que, quando o assunto é tipos de cama, não existem tendências a serem seguidas. O que deve prevalecer é o estilo pessoal de cada um. Mas ela afirma que os modelos de cama box com saias lisas e cabeceira em tecido nunca sairão de moda. “O clássico e simples sempre seguirão em alta, o que não significa que esta seja uma regra a ser seguida à risca”.

Compacta, cama box é a mais usada

A cama box é, definitivamente, a mais popular hoje. O principal motivo é ser mais barata do que a tradicional e não exigir montagem. Ela também é mais compacta, porque não precisa de sustentações laterais, o que é um critério relevante diante de apartamentos construídos com ambientes cada vez menores. Ou seja, é indicada para quartos menores.

O tipo de cama box também não precisa de cabeceira, embora seja interessante adquirir a peça separadamente para compor a decoração. Um painel pode ser interessante para substituí-la ocupando um espaço menor. Além de tudo, esse tipo de cama pode ser comprado com baú, o que é bastante útil para quem tem pouco espaço e precisa guardar objetos.

“A cama box tradicional foi adaptada da americana, mas a brasileira hoje é muito mais simples, confeccionada apenas com madeira e revestida com tecidos mais baratos. A americana é feita com a estrutura de aço e alguns modelos possuem até mola para ser harmonizada com alguns modelos de colchões”, explica Abdo Carim El Orra, CEO da Bed and Room, uma loja de camas e colchões em São Paulo.

Abdo diz que só trabalha com a base da cama de aço e pés em alumínio. “Também existe a base com baú simples, estrutura em madeira. Nós trabalhamos com a base do baú com estrutura em aço, inclusive o estrado onde o colchão é apoiado. A durabilidade é muito maior e não existe a possibilidade de rangidos, o que é bem comum na base de baú simples”, explica.

Modelo tem limitações na ergonomia e decoração

O tipo de cama box costuma ser conhecido ainda pelo conforto dos grandes colchões. Porém, nem tudo são flores. O modelo costuma ser muito mais alto que as camas tradicionais, o que acaba dificultando para pessoas mais baixas ou com problemas de mobilidade e coluna, como idosos.

E mesmo que seja o tipo preferido, o que se traduz em modernidade, esse tipo de cama não se destaca na decoração e vai precisar de complementos para ficar bonito, como uma boa cabeceira, mesas laterais e iluminação direcionada, que pode ser com pendentes. Além disso, é difícil de arrastar e limpar.

“A cabeceira vai variar de acordo com a necessidade e o gosto do cliente. Ela pode ser fixada na base da cama ou direto na parede, dependendo do projeto em questão. Na maioria das lojas existem bases e cabeceiras que podem ou não ser utilizadas no mesmo projeto”, lembra Abdo.

“É fundamental que as pessoas verifiquem todas as possibilidades para escolher bem, seja só a cama ou a cabeceira junto. Vale lembrar que também existe a possibilidade de fazer um painel sob medida, podendo revestir a parede toda até o teto”, diz o CEO da Bed and Room.

Cama tradicional ocupa mais espaço

Se o seu sonho é ter aquela boa cama tradicional, com estrado, veja se tem o espaço adequado e lembre-se que ela precisará de montagem no local. Esse tipo de cama pode ser feito com estrutura em madeira, cujo revestimento em laca, com valor maior, deixa a aparência mais bonita, ou metal – que geralmente é forrado com couro ou tecido.
O tipos de cama convencionais costumam ser mais baixos e podem ser usados, inclusive, para sentar confortavelmente com os pés apoiados no chão. Ou seja, é uma cama mais ergonômica.

Tipos de cama podem ser personalizados para o ambiente

As camas tradicionais têm acabamentos variados e podem ser feitas sob medida, se moldando à decoração pretendida no quarto. Neste caso, ela já é uma peça de decoração, porque vem junto com a cabeceira que pode ser o destaque do móvel. Esqueça aqueles desenhos antigos, hoje há modelos futuristas e até com características industriais.
Seja qual for o tipo de cama escolhido, box ou tradicional é sempre necessário se atentar às medidas do quarto e do móvel e à altura de base e colchão. “Os colchões e as bases ficaram cada vez mais altos, por isso é importante se preocupar com a altura antes de comprar. Nas lojas, normalmente não conseguimos ter a noção de como ficaria no nosso quarto”, orienta Abdo.

A maioria das fábricas no Brasil trabalha com as medidas americanas como padrão. No caso de cama de casal, as preferidas são a queen (1,58 metro de largura por 1,98 de comprimento) e a king size (1,93 de largura por 2,03 de comprimento). Normalmente, as pessoas optam pelo maior tamanho possível que cabe no quarto.

chat online icone

Aviso de cookies

Utilizamos cookies para garantir que você tenha a melhor experiência em nosso site.

Carregando Aguarde...

0 0